terça-feira, 14 de julho de 2015

Mau tempo deve gerar menor safra de vinhos na Itália desde 1950


Produção de vinho neste ano deve ser 15% menor por causa de clima úmido
O mau tempo na Itália teve efeitos nefastos sobre a produção de vinho do país: espera-se que a safra deste ano seja a menor desde 1950.

Segundo a associação italiana de agricultores Coldiretti, serão produzidos 4,1 bilhões de litros, 15% a menos do que no ano passado.

Se confirmada, está será a menor produção dos últimos 64 anos e fará com que a Itália perca o posto de maior país produtor de vinho para a França.

Outros produtos agrícolas tipicamente italianos, como o azeite de oliva, também estão sendo afetados.

O culpado pela queda de produção é o clima atipicamente úmido do verão italiano.
Para obter um bom produto, os vinicultores precisam de sol, o que aumenta as concentrações de açúcar na fruta, e de pouca umidade antes da colheita, para evitar fungos e doenças.
Em setembro, fortes tempestades prejudicaram os vinhedos justamente poucas semanas antes da colheita.

Trombas d’água

As vinícolas do norte do país, em regiões como Piemonte, Lombardia, Veneto e Oltrepò Pavese, foram especialmente atingidas.

Sicília, Apúlia e Calábria, no sul da Itália, também sofreram com o clima fora do normal.

A Coldiretti atribui os problemas às mudanças climáticas. "O clima está se alterando.
Tempestades e trombas d’água mais frequentes põem à prova os agricultores", comentou um porta-voz da associação.

O problema afeta também um outro produto tipicamente italiano: o azeite de oliva.

A produção de azeitonas na Itália deverá cair 30% este ano, para cerca de 300 mil toneladas.

O setor agrícola é importante para a economia italiana.

Só a produção vinícola italiana envolve cerca de 200 mil empresas e teve no ano passado um faturamento de cerca de 9,5 bilhões de euros (cerca de 29 bilhões de reais).