quarta-feira, 29 de julho de 2015

Curiosidade - O que é o Cancro da videira?

Cultivar uvas não é nada fácil, veja abaixo alguns detalhes de uma praga que assola as videiras no Brasil, o Cancro da Videira. 

Cancro da Videira
O cancro bacteriano da videira, causado pela bactéria Xanthomonas campestris pv. viticola é uma doença nova na cultura da videira no Brasil, que provoca impactos econômicos e produtivos extremamente drásticos em cultivares suscetíveis.




Sintomas
- Folhas
Limbo Foliar: manchas necróticas pequenas no limbo foliar, com ou sem halo amarelado, que com o desenvolvimento da infecção, coalescem formando extensas áreas necrosadas;
  
Nervuras/pecíolos: manchas escurecidas, longitudinais e irregulares e com o desenvolvimento da doença, evoluem a cancros;
Inflorescências: manchas escurecidas, longitudinais e irregulares e com o desenvolvimento da doença, evoluem a cancros;
Ramos: manchas escurecidas, longitudinais e irregulares e com o desenvolvimento da doença, as quais formam os cancros;


Frutos: manchas escuras, longitudinais e irregulares na ráquis, laterais e pedicelos que resultam em cancros e, ocasionalmente, lesões circulares nas bagas.
Disseminação
a) Mudas ou bacelos infectados;
b) Restos de cultura infectados aderidos em roupas, veículos, contentores, tesouras, canivetes e luvas não desinfestados e utilizados na colheita de frutos de plantas doentes;
c) Tratos culturais como desbrota, poda, raleio de bagas, colheita, capina, gradagem, roçagem e pulverizações;
d) Respingos de água de chuva ou irrigação;




Outras Plantas Hospedeiras
- apaga-fogo (Alternanthera tenella)
- caruru (Amaranthus sp.)
- soja perene (Glycine sp.)
- fedegoso (Senna obtusifolia)
Ações Preventivas
  • Adquirir mudas comprovadamente sadias e acompanhadas do Certificado Fitossanitário de Origem;
  • Não utilizar material propagativo de procedência duvidosa;
  • Evitar adquirir material propagativo e/ou mudas dos locais de ocorrência da doença;
  • Evitar o plantio de cultivares muito suscetíveis;
  • Evitar o trânsito de máquinas e equipamentos entre propriedades;
  • Instalar pedilúvio com amônia quaternária 0,1% na entrada do parreiral;
  • Estabelecer quebra-ventos;
  • Evitar ferimentos na época chuvosa.
Fonte: 
http://www.agrodefesa.go.gov.br/programas-sanidade-vegetal/2-noticias/69-programa-uva